Apresentação do livro «José Carlos Magalhães Carneiro – Obra de Arquitetura»

Apresentação de Livro J C  Magalhães Carneiro

Dia 28 de julho, pelas 18h00, na Casa Allen, no Porto.

Biografia

José Carlos de Almeida Magalhães Carneiro nasce a 28 de Setembro de 1931 na aldeia de Cadima, concelho de Cantanhede, num ambiente rural de onde são originários avós paternos e maternos.

Em Cadima completa a instrução primária, prosseguindo depois os seus estudos no Colégio Brotero no Porto.

Ingressa em Arquitetura na Escola de Belas Artes do Porto. Completa o 1º ano e interrompe os seus estudos durante cinco anos para trabalhar com o pai na empresa familiar de importação de algodão. Pai esse que, todos os anos, o volta a inscrever na faculdade, incentivando-o a retomar o seu caminho de escolha.

Regressa a Escola de Belas Artes e inicia simultaneamente colaboração no gabinete dos arquitetos João Andersen e Januário Godinho, que vai durar até à conclusão do curso.

Ingressa em equipa com os arquitetos Agostinho Ricca e João Serôdio, na “Sociedade de Construções William Graham”, promotora de inúmeros empreendimentos relevantes no Porto; entre eles o “Foco”.

Constitui mais tarde a ESUR em conjunto com os arquitetos João Serôdio e Alfredo Resende, à qual se segue a PRADE com o arquiteto João Serôdio; em ambos os casos com atividade incidindo maioritariamente no Porto.

Em complementaridade a essa atividade profissional em meio urbano, desenvolve a partir de Moledo do Minho e ao longo de mais de cinquenta anos uma outra arquitetura, de carácter intimista, em que predominam moradias familiares de fim-de-semana. Nela constrói a sua obra de cunho mais pessoal, em que busca a integração com a natureza, e onde, nalguns casos, abraça o desafio da recuperação de construções tradicionais de aldeia.

No seu percurso na escola é contemporâneo numa primeira fase dos arquitetos Álvaro Siza e Alcino Soutinho e posteriormente, dos arquitetos José Pulido Valente, Pedro Ramalho, Alexandre Alves Costa, Sérgio Fernandes, Pedro Ferreira Pinto, entre outros.

Ainda hoje reparte a semana entre o Porto e Moledo, onde invariavelmente se mantém em atividade, combinando as paixões de sempre: arquitetura e jardins.

Concerto Sona Duo | 24 julho | 16h30

 

CA-SonaDuo

 

ENTRADA LIVRE

 

Este duo, criado no âmbito da cadeira de Música de Câmara, é composto pelos alunos Eoin Smiddy, de Cork (Irlanda) e Gabriela Caldeira, do Porto (Portugal). Queríamos um nome que, mais que o comum sentimento de parceria, pudesse reflectir este intercâmbio entre culturas; para isto, precisávamos de uma palavra que as duas culturas – a irlandesa e a latina – pudessem partilhar, ainda que com diferentes significados. No final, a palavra escolhida foi “sona”, intimamente relacionada com o verbo latino “sonare” (que significa “soar”, “fazer som”) e que originou palavras como sonata, soneto e sonatina.

A isto eu devo acrescentar que as raízes mais profundas da palavra vêm de facto do grego “personare” (que deu à luz palavras como pessoa ou personificação) e que se referia à máscara que os actores gregos usavam no rosto para interpretar as suas personagens. Seria só mais tarde que os latinos adaptariam a palavra para se referir, por oposição, a algo que se origina dentro de um corpo e que se emite para o exterior. Deste modo, “sonare” or “personare” podem também entender-se como algo equivalente a “dar à luz uma ideia abstracta”: no nosso caso, dar corpo ao som (Música).

Por oposição, a “sona” no contexto irlandês não poderia ser mais diferente: em irlandês, “sona” significa “feliz” e isto deixou-nos a reflector com uma possível metáfora em que se pudessem fundir a ideia de dar corpo ao som e à felicidade ou, por outras palavras, a esperança por um lugar melhor através da influência activa da Música (isto porque um músico é, ele mesmo, um professor e um intérprete e porque não podemos negar o impacto de uma educação baseada na Beleza e na Harmonia das Ideias). Mais como valor e menos como uma estética, a Beleza em si mesma é a última redentora das almas e, tal como nenhuma boa árvore pode brotar em solo estéril, só pela experiência da Beleza pode o espírito humano atingir a perfeição.

Gabriela Caldeira

Eoin Smiddy

Workshop Musical «Ocarinas, Canções e Percussões»

ocarinas

“Ocarinas, Canções e Percussões”

Vem aprender a tocar um dos instrumentos musicais mais antigos (e divertidos!) do mundo: a Ocarina… Canta! Constrói e experimenta variados instrumentos de percussão… E, no último dia, participa no Concerto que vamos organizar: podes convidar os teus familiares e amigos para virem assistir!

Início: 29 de Agosto de 2016 Fim: 2 de Setembro de 2016

Local: Casa Allen
Rua António Cardoso, 175
4150-081 Porto

Crianças entre os 5~12 anos

Nº mínimo de inscrições: 12

Inscrição: 35€ + Ocarina (10€)

918 142 371

www.teclarte.pt

FUNCIONAMENTO:
5 sessões, das 9h30 às 12h30, com um intervalo grande a meio, para as crianças lancharem e brincarem no parque da Casa Allen (Casa das Artes).
O acolhimento das crianças será a partir das 9h. No último dia, haverá um Concerto das 12h30 às 13h.
OBSERVAÇÕES:
A Teclarte assegura o acolhimento das crianças, a partir das 9h, a vigilância durante os intervalos, a realização do workshop (até às 12h30) e do Concerto. Cada participante terá de ter uma Ocarina. Todo o restante material necessário para a realização do workshop musical e do Concerto será fornecido pela Teclarte.

Coro Lira: workshop para adultos

corolira

No próximo dia 9 de Julho, na Casa das Artes do Porto, entre as 14h30 e as 16h30, o Coro Lira promove um workshop de Coro para adultos, a partir dos 18 anos.

Será uma oportunidade para juntar os fãs da cantoria aos mais cépticos, que acreditam não saber cantar, não “ter ouvido” ou voz para esse efeito…

A direção musical deste workshop estará a cargo da Raquel Couto, que irá demonstrar como estas crenças não têm fundamento, já que podemos aprender a utilizar e trabalhar a voz como qualquer outro instrumento.

Para participar, não é necessário formação musical, nomeadamente na área Coral. Contudo, será imprescindível trazer curiosidade e… água!

O acesso a este workshop é gratuito, sujeito apenas a inscrição prévia para liracoro@gmail.com ou 918841570.

Raquel Couto
Nasceu no Porto, onde se licenciou em Educação Musical na Escola Superior de Educação. Cantou em vários coros, destacando-se o Ensemble Vocal Pro Musica (maestro José Manuel Pinheiro) e o Coro de Câmara da Escola Superior de Música de Lisboa (maestro Paulo Lourenço).
Realizou os seus estudos em Direção Coral com o maestro Paulo Lourenço na Escola Superior de Música de Lisboa tendo participado em cursos nas cidades de Évora, Lisboa, Aveiro, Londres e Barcelona, onde trabalhou com os maestros Stephen Coker, Eugene Rogers, Paul Caldwell, Werner Pfaff, Brett Scott, Paul McCreesh, Greg Beardsell, Elisenda Carrasco, Esteve Nabona e Maria Guinand.
Em 2012 participou no curso “Write an Opera” da Royal Opera House (Londres).
No ano lectivo 2014-2015 pertenceu ao X Curso de Animadores Musicais da Casa da Música onde trabalhou com diferentes comunidades da cidade do Porto e com professores da GuildHall School of Music (Tim Steiner, Sam Mason, Paul Griffiths e Pete Letanka).
Desde 2012 dirige anualmente o Coro Mini do Festival Vocalizze. Foi fundadora e maestrina do SHINE – Coro Gospel em Lisboa.
Leccionou as classes de coro da Fundação Musical dos Amigos das Crianças (FMAC Lisboa) e foi responsável pela direcção musical do grupo de teatro “EmCena” encenado por Pedro Lamares, da Academia de Música Fernandes Fão, em Vila Praia de Âncora.
Actualmente lecciona no Conservatório Regional de Música de Vila Real as classes de Coro Juvenil e Infantil. Dirige o Coro Infantil e Coro de Adultos da Academia de Música A Pauta – Porto, o Coro da Orquestra Geração – Gondomar.
É fundadora e directora artística do Coro Lira (Casa das Artes do Porto).